domingo, 3 de julho de 2016

Numa paisagem entre o pão e a poesia


_
Gosta de poesia, jovem?

_Oi?

_Poesia, eu escrevo poes...

_Ah, não, não, tô atrasado, valeu.

_Não, cara, volta aqui. Minhas poesias são ótimas.

_Ótimas?

_Tá, são legais.

_Hmm.

_Olha só, cê gosta de soneto? Faço uns sonetos foda, é cada chave de ouro...

_Tem brinde?

_Quê?

_Brinde, tem brinde?

_Como assim brinde? Não, não tem brinde.

_Ah, então valeu. Não gosto muito de soneto não.

_Não, cara, espera! Do que você gosta? Quadrinhas, sextinas, rondel, rondó, faço qualquer uma.

_Rondel?

_É, cara, tem rondel e tem rondó, a diferença é...

_Olha, eu preciso mesmo ir, você está me atrasando, meu filme vai começar daqui a pouco, preciso comprar a pipoca ainda...

_Trovas, faço trovas, posso pegar meu violão ali.

_Não, violão não, pelo amor de Deus. Sem violão.

_Nem um bandolim, uma lira...

_Onde você guarda uma lira, meu Deus?


_Haicai, sabe haicai?, aquele de três, faço haicai também.

_De métrica tem o quê?

_Métrica? Pô, metrifico que é uma beleza. Cê gosta como? Decassílabos heroicos, redondilhas...

_Na verdade eu só gosto um pouco de endecassílabos e de poesia épica.

_Épica? Ixi, moço, endecassílabos eu tô meio enferrujado, acho que vou ficar te devendo, pode ser alexandrinos? Cesura por conta da casa.

_Preciso ir mesmo, cara, minha companhia chegou. Vamos entrar pra ver o filme.

_Companhia? Ó, leva pra ela, ó, tem aqui galope, ode elegia, madrigal, noturno, idílico...

_Cara, tchau.

_Moço, num vai embora, não, eu faço um épico aqui, olha, já tô umas musas aqui pra... ô Calíope, aparece logo, o moço tá indo embora... moço?, moço, moçoooo...
!



[Escrito entre 5h53 e 6h18, ao som de Sur L'Océan Couleur De Fer, do Alcest, no repeat. Fazer o texto foi sugestão de @cesarotti às 23h47].